História do Rio - Construção da Nova Central

Entre as milhares de histórias sobre a cidade do Rio de Janeiro, algumas chamam atenção como as que datam do século XIX e evolvem o setor de transporte urbano. Inaugurada em 1858, a linha estrada de Ferro Central do Brasil tinha estação final a “Estação do Campo”. Teve seu nome alterado para Estação da Corte e após Estação Dom Pedro II. O que impressiona é a beleza do antigo prédio da estação, diria que mais bonito que o atual.

A década de 30 trás o novo e atual prédio

história do Rio - Antiga Central do BrasilA antiga construção foi reformada no início do século e todos achavam que pararia por ali, nada seria mudado. Entretanto para haver a expansão do sistema ferroviário, bem como a passagem da Avenida Presidente vargas, que nas fotos pode ser entendida como o espaço onde as pessoas passam, anos depois. A construção da, à época, obra faraônica datam do início da década de 40. A antiga ferrovia, desativada em 1971 pela RFFSA originou o nome atual da estação.

Construção prédio novo e Palácio D. de Caxias

Vale ressaltar que a antiga estação fazia a ligação da cidade do Rio de Janeiro com outras cidades, incluindo Belo Horizonte e São Paulo. Datam da década de 30 a passagem de toda a malha ferroviária de trens urbanos do Rio para sistemas elétricos. Apesar de ter sido lançado em 1860, a rede de trens só ganhou eletricidade em toda a extensão na mesma época em que se derrubou o antigo prédio.

Política sempre assolando

A nota triste pode ser levantada, como sempre, a questão política que desde sempre ditaram o ritmo da evolução dos transportes urbanos. São bitolas largas, estreitas, trens de um modelo que não rodam em determinada linha existente, enfim, são catástrofes que sempre assolaram e assolam o sistema num todo. Hoje, de trem, mal vamos à japerí.

Anúncios